Processo em 7 etapas para encontrar bons empreiteiros

Para ser franco, a experiência com a maioria dos empreiteiros é terrível. Como gestor de obras, eu lido com isso o tempo todo.

Eles não atendem o telefone. Não aparecem quando disseram que fariam. Não fazem o que disseram que vão fazer. 

Ainda assim, existem parceiros que se mostram muito valiosos, mas que precisam ser lapidados. O problema é que a maioria das pessoas não tem ideia de como identificar aquele bom empreiteiro diante de todos os que estão por aí – até muito tempo depois de já terem contratado um.  

Quero compartilhar com você meu processo de sete etapas para identificar um ótimo profissional/empresa antes de contratá-lo. Se você está remodelando sua própria casa, fazendo uma expansão ou fazendo uma construção nova, esse roteiro pode te ajudar bastante.

 

Como encontrar um bom empreiteiro

1. Construa sua lista de empreiteiros

O que quero dizer com isso é que você precisa obter os nomes e números de telefone de muitos empreiteiros diferentes em sua área. Quer dizer, se estamos procurando uma agulha no palheiro, primeiro temos que pegar um palheiro. 

 

Você pode encontrar empreiteiros em potencial de várias formas, mas meus três favoritos são: 

 

Primeiro método: Referências, o que significa perguntar às pessoas que você conhece quem elas usaram 

Segundo método: Referências, então sim, perguntar às pessoas que você sabe quem elas usaram 

Terceiro método: Você adivinhou! Referências;

A natureza humana é que os princípios de trabalho geralmente não mudam, e primeiro de tudo é importante encontrar alguém que seja consistente no que fala e no que faz. Não garante sucesso, mas quando você sabe que um empreiteiro fez um ótimo trabalho no passado, é provável que ele faça isso de novo. 

Portanto, adquira o hábito de conversar seus amigos e familiares com frequência – mesmo quando você não estiver procurando por um empreiteiro. “Quem fez este trabalho para você?” Então, acompanhe essas referências. 

Existem algumas outras maneiras de encontrar empreiteiros também. Eu gosto de conversar com outros empreiteiros e perguntar com quem eles gostam de trabalhar. 

Boas pessoas atraem boas pessoas, e bons comerciantes tendem a trabalhar com outros bons comerciantes. 

Por exemplo, eu tenho um ótimo pedreiro de acabamento, então posso perguntar a ele: “Ei, você conhece algum ótimo eletricista?”  

Você também pode criar sua lista tirando uma foto toda vez que vir um sinal de contratado ao lado de um trabalho caminhão, ou perguntando aos funcionários do departamento profissional de sua loja local de que eles gostam. 

2. Pré-triagem no telefone e pessoalmente

Nossa avaliação sobre o contratado começa no momento em que começamos a conversar com eles, seja por e-mail, telefone ou pessoalmente. 

Eles se portam profissionalmente? Eles respondem bem a perguntas? 

Faça algumas perguntas gerais, como:

  • Há quanto tempo você está nesta linha de trabalho?
  • Qual habilidade você diria que é melhor?
  • Que tarefas de trabalho você odeia fazer?
  • Em que cidades você costuma trabalhar?
  • Quantos funcionários trabalham para você? (Ou “trabalhe em sua empresa” se você não estiver falando com o chefe.)
  • Quão ocupado você está?
  • Você tem empresa constituída e todas as certidões negativas?
  • Se eu fosse contratá-lo, quando você poderia começar a realizar as tarefas?

Em seguida, marque um horário para conhecer e mostrar o projeto, se você tiver um. Marque um horário e não se esqueça de chegar alguns minutos antes, só para ver exatamente a que horas eles chegam. 

Eles estão no horário? Tarde? Cedo? Eles parecem profissionais? Como eles agem? 

Se tudo parecer bem depois desta primeira reunião, avance para o próximo passo.

 

3. Google-los

A primeira coisa que fazemos agora ao procurar informações sobre um determinado contratado é simplesmente pesquisar no Google pelo nome e pelo nome da empresa. Isso muitas vezes pode revelar grandes bandeiras vermelhas sobre a pessoa. 

Você também deseja adicionar o nome da cidade e algumas outras palavras-chave à pesquisa, como “fraude” ou “roubo” ou “tribunal”. 

Por exemplo, se quisermos saber mais sobre a Construtora Civil na Paraiba, nós procuramos coisas como:

  • Construtora Civil Nordeste
  • Construtora Civil processos
  • Construtora Civil reclame aqui

Estes termos podem ajudá-lo a descobrir queixas principais sobre um empreiteiro. Mas lembre-se, nem todas as reclamações são válidas. Algumas pessoas são apenas loucas. Dê uma olhada no site, para avaliar o nível de cuidado e redação.

O que isso fará, no entanto, é dar a você uma orientação sobre quais etapas seguir.

 

4. Peça referências

Em seguida, peça ao contratante referências de pessoas anteriores para as quais eles trabalharam. Fotos são legais, mas nomes e endereços são melhores. 

Então, faça o que 90% da população nunca fará e realmente chame essas referências! 

Você pode perguntar à referência várias perguntas, como:

  1. Que trabalho eles fizeram?
  2. Quão rápido eles fizeram isso?
  3. Eles mantiveram um local de trabalho limpo?
  4. Você está relacionado com [nome do contratado], certo? (Se forem, eles pensarão que você já estava a par daquela informação e não terá nenhum problema em responder honestamente!)
  5. Algum problema em trabalhar com eles?
  6. Você os contrataria de novo?
  7. Posso dar uma olhada no produto acabado? (Isso pode ser feito pessoalmente ou por meio de fotos.)

Essas perguntas ajudarão você a entender mais sobre as habilidades e a história do contratado. Então, se possível, confira o trabalho que o contratado fez e certifique-se de que fique bom.

Outra dica é pedir ao empreiteiro que lhe falasse sobre um grande trabalho recente que eles fizeram. Empreiteiros gostam de se gabar de seus grandes trabalhos, então ele ou ela provavelmente vai agradá-lo com a história de quanto trabalho eles precisavam fazer e quão grande parecia no final. Peça para ir ao local fazer uma visita e conversar com as pessoas sobre suas impressões.

 

5. Cheque as informações

Sim, nós devemos confiar nas pessoas, mas certifique-se de que o contratante seja digno de sua confiança primeiro! Para fazer isso, primeiro verifique se eles realmente têm uma licença para fazer o trabalho que você pretende que eles façam. 

Se eles são eletricistas, certifique-se de que eles tenham uma licença elétrica, treinamento de segurança em NR 15. Se eles são um empreiteiro geral, verifique se eles têm uma licença de empreiteiro geral. 

 

6. Contrate para uma pequena tarefa

Antes de contratar o empreiteiro para fazer um grande projeto, contrate-os para fazer apenas uma pequena tarefa, de preferência abaixo de R$ 5000 em custo. Isso lhe dará uma boa ideia do tipo de ética de trabalho que eles têm e da qualidade do trabalho que fazem. 

Se o trabalho for feito dentro do prazo e do orçamento, e se atender aos seus padrões de qualidade, considere contratá-los para mais tarefas.

Mesmo que o contratado tenha passado pelas primeiras etapas desse processo de triagem, 75% deles ainda falharão nessa etapa, portanto, não se acomode com apenas um contratado. Contrate vários contratados para vários pequenos trabalhos e veja quem trabalha melhor.

 

7. Gerencie corretamente

Noventa por cento das vezes que eu tenho uma situação desastrosa com um empreiteiro, a culpa recai sobre ninguém além de mim mesmo. Se eu tivesse conseguido gerenciá-los corretamente, não ficaria preso nas posições em que estive.  

Aqui está um exemplo. Eu contratei um empreiteiro para pintar um ambiente. Ele diz R$ 5.000,00. Eu digo: “Ótimo”.  

Ele me chama, me diz que está pronto e eu lhe envio os R$ 5.000,00.   

Agora vou verificar a propriedade e o que vejo? Ele não pintou o teto, apesar da óbvia necessidade disso. E há alguns respingos de tinta no chão que são fáceis de limpar – mas agora tenho que fazê-lo. 

Eu chamo o empreiteiro e ele diz: “Bem, você não disse que eu precisava fazer o teto”, e “Não, o chão estava perfeitamente limpo quando saí. Alguém deve ter feito as gotas no chão. ” 

Agora, você pode estar dizendo:“ Mas isso é ridículo! É claramente culpa dele. ” 

Mas é minha responsabilidade gerenciá-lo corretamente. Portanto, quando você trabalha com um empreiteiro, sempre obtenha um escopo detalhado do trabalho que defina claramente 100% do que será trabalhado, o que está incluído e o que não está.  

Então, nunca pague nada até inspecionar o trabalho. Em trabalhos maiores, certifique-se de distribuir os pagamentos ao longo do trabalho, para que eles não recebam muito dinheiro adiantado. Você sempre quer que eles com fome para o cheque de pagamento seguinte.  

 

Se você trata com manutenção ou operação, como eu, você vai precisar lidar com empreiteiros no futuro. Ao seguir este processo de sete etapas, você economiza tempo, estresse e muito dinheiro. 

Você está cuidando bem do seu piso?

Todas as atividade da sua operação acontecem sobre o seu piso! Já pensou nisso?🤔😱

Muito embora isso seja verdade, por muitas vezes a manutenção dessa estrutura é deixada de lado até chegar em um ponto de grande degradação, em que o reparo se torna muito caro!

Todas as estruturas são projetadas para uma determinada vida útil. No caso de pisos de concreto não é diferente. Quer seja projetada para 5, 10, 15 anos o piso precisa de manutenção.

Todas as vezes em que se projeta um pavimento, e, consequentemente o seu revestimento, leva-se em consideração a vida útil dessa estrutura.

É possível ou desejável fazer-se uma manutenção regular? Está previsto um plano de conservação (limpeza) prolongando assim a vida útil do revestimento? Estas questões nem sempre são atendidas e não se tem um plano de manutenção para a manutenção da garantia do piso.

Na industria alimentícia existem pré-requisitos de higiene e manutenção para o piso. Em se tratando de instalações industriais, não existe um procedimento padrão a ser seguido, cabe então estudar as especificidades de uso e tráfego para incluir a manutenção do piso no plano de manutenção da unidade.

O projeto é um processo crítico. É comum se deparar com a insuficiente atenção à escolha do tipo de revestimento, geralmente postergada ou ignorada. Vale a pena considerar as consequências financeiras da perda de produção e/ou outros custos inerentes, devido à interrupção ou paradas.

No sentido de manter o revestimento de pavimento escolhido nas melhores condições, é fundamental a ativação e cumprimento de um plano de conservação e limpeza correto adaptado às exigências do local. Neste sentido devem ser realizadas inspeções periódicas por uma empresa de conservação/limpeza especializada.

A Limpeza Inicial

Depois de o piso lançado e totalmente curado, deve-se realizar a limpeza do revestimento. Nesse momento é importante utilizar detergente apropriado de pH neutro e devidamente controlado, utilizando no processo equipamentos e acessórios (escovas ou discos rotativas) adequados à textura/rugosidade do piso e/ou revestimento existente e dimensão do local.

O local a intervir deve ser previamente aspirado a seco, de forma a eliminar todo o tipo de resíduos sólidos (poeira, areia, etc). Uma segunda inspeção ajudará a identificar a existência de zonas que necessitem de um tratamento específico, como por exemplo, zonas com derrames de óleo, pegadas ou marcas de pneus de empilhadeiras.

A escolha do melhor detergente, bem como do melhor método e equipamento a utilizar, deve ser analisado caso a caso pelos especialistas. A periodicidade destas ações está diretamente relacionada com o tráfego e contaminações a que o revestimento estará exposto.

A facilidade de limpeza ou descontaminação deve ser cuidadosamente prevista. Os sistemas de pavimentação rígidos são, em geral, mais fáceis de limpar do que os elásticos. Estas propriedades são particularmente relevantes em laboratórios, indústria química, farmacêutica, alimentar, eletrônica, entre outras, devendo ser dada particular importância aos pontos singulares (drenos, meias canas, rodapés, etc), de forma a minimizar a ocorrência de anomalias, com conseqüente desenvolvimento para a superfície corrente e perda de características gerais do revestimento.

Camada de Proteção

Deve-se verificar a necessidade de proteção sobre o piso de concreto para aumentar a vida útil do pavimento. Quando da elaboração do projeto, deve-se analisar o tipo e volume do tráfego. Aqui deve-se verificar a necessidade de utilização de um RAD (Revestimento de Alto Desempenho) a depender das restrições do cliente quanto a manutenção, utilização e vida útil do piso.

As camadas finais de conservação à base de dispersões acrílicas (vulgarmente designadas como cêras industriais) e os consequentes procedimentos de limpeza devem ser considerados. Tais processos não pretendem substituir os revestimentos, mas atuam como camadas protetoras e sacrificiais facilmente renováveis, ajudando a manter as altas exigências de higiene do piso.

Os produtos que compõem estas camadas deverão ser compatíveis com os revestimentos. Conseqüentemente os custos de manutenção futuros (repinturas) de maior ou menor complexidade são reduzidos ou mesmo eliminados, traduzindo-se em menores interrupções nos espaços a intervir.

Juntas Serradas

Deve-se ter atenção especial para as juntas serradas do piso. Com o uso e o passar do tempo, o selante elastomérico de calafetação das juntas vai perdendo sua elasticidade e começa a se desgastar, com isso começa a entrar grãos de areia e sujeira nas juntas, fechando assim os cortes com sujidades.

Isso representa um risco para os pisos de concreto, uma vez que as juntas param de fazer sua função de permissão de movimentações horizontais e verticais, aumentando o atrito entre as placas de concreto. Isso pode levar ao esborcinamento de juntas e diminuição da durabilidade do pavimento, especialmente em áreas de tráfego de empilhadeiras.

Deve-se então anualmente fazer a conferência da integridade do elemento de fechamento das juntas, e sua manutenção.

Precauções

A instalação de equipamentos, estantes de armazenamento, móveis, armários de arquivo, etc., sobre o revestimento, deve ser cuidadosa evitando riscos e marcas. As empilhadeiras devem ser conduzidas com cuidado a fim de evitar marcas causadas pela rotação ou pelo deslize das rodas, dando especial atenção ao impacto dos “garfos” de elevação.

Para os casos em que as empilhadeiras circulam entre áreas externas e internas, existem tapetes especiais que, instalados nos locais de entrada, evitam que as rodas levem pó, areia, óleo, pedrisco, entre outros para dentro. Estes tapetes devem ter extensão tal que permitam que a maior rodagem dos veículos possa completar duas voltas se auto-limpando.

Os equipamentos de limpeza e seus acessórios não deverão ser excessivamente abrasivos e devem ser adequados ao tipo de revestimento (rugosidade/textura) existente. Não usar escovas rotativas em revestimentos lisos ou numa situação inversa discos em revestimentos rugosos. Além de danificar os equipamentos, o resultado final não será o pretendido.

Os líquidos agressivos derramados acidentalmente, devem ser limpos ou absorvidos e eliminados o mais rapidamente possível. Depois de remover o líquido derramado, a área deve ser limpa com um detergente apropriado. Se tiver sido aplicada uma camada protetora, o revestimento deve ser inspecionado, verificando se a mesma não foi afetada, e caso o tenha sido deverá ser reposta. Para não prejudicar a aderência, a aplicação de camadas protetoras sobre revestimentos com derrame constante de líquidos deve ser evitada. .