Você está cuidando bem do seu piso?

Todas as atividade da sua operação acontecem sobre o seu piso! Já pensou nisso?🤔😱

Muito embora isso seja verdade, por muitas vezes a manutenção dessa estrutura é deixada de lado até chegar em um ponto de grande degradação, em que o reparo se torna muito caro!

Todas as estruturas são projetadas para uma determinada vida útil. No caso de pisos de concreto não é diferente. Quer seja projetada para 5, 10, 15 anos o piso precisa de manutenção.

Todas as vezes em que se projeta um pavimento, e, consequentemente o seu revestimento, leva-se em consideração a vida útil dessa estrutura.

É possível ou desejável fazer-se uma manutenção regular? Está previsto um plano de conservação (limpeza) prolongando assim a vida útil do revestimento? Estas questões nem sempre são atendidas e não se tem um plano de manutenção para a manutenção da garantia do piso.

Na industria alimentícia existem pré-requisitos de higiene e manutenção para o piso. Em se tratando de instalações industriais, não existe um procedimento padrão a ser seguido, cabe então estudar as especificidades de uso e tráfego para incluir a manutenção do piso no plano de manutenção da unidade.

O projeto é um processo crítico. É comum se deparar com a insuficiente atenção à escolha do tipo de revestimento, geralmente postergada ou ignorada. Vale a pena considerar as consequências financeiras da perda de produção e/ou outros custos inerentes, devido à interrupção ou paradas.

No sentido de manter o revestimento de pavimento escolhido nas melhores condições, é fundamental a ativação e cumprimento de um plano de conservação e limpeza correto adaptado às exigências do local. Neste sentido devem ser realizadas inspeções periódicas por uma empresa de conservação/limpeza especializada.

A Limpeza Inicial

Depois de o piso lançado e totalmente curado, deve-se realizar a limpeza do revestimento. Nesse momento é importante utilizar detergente apropriado de pH neutro e devidamente controlado, utilizando no processo equipamentos e acessórios (escovas ou discos rotativas) adequados à textura/rugosidade do piso e/ou revestimento existente e dimensão do local.

O local a intervir deve ser previamente aspirado a seco, de forma a eliminar todo o tipo de resíduos sólidos (poeira, areia, etc). Uma segunda inspeção ajudará a identificar a existência de zonas que necessitem de um tratamento específico, como por exemplo, zonas com derrames de óleo, pegadas ou marcas de pneus de empilhadeiras.

A escolha do melhor detergente, bem como do melhor método e equipamento a utilizar, deve ser analisado caso a caso pelos especialistas. A periodicidade destas ações está diretamente relacionada com o tráfego e contaminações a que o revestimento estará exposto.

A facilidade de limpeza ou descontaminação deve ser cuidadosamente prevista. Os sistemas de pavimentação rígidos são, em geral, mais fáceis de limpar do que os elásticos. Estas propriedades são particularmente relevantes em laboratórios, indústria química, farmacêutica, alimentar, eletrônica, entre outras, devendo ser dada particular importância aos pontos singulares (drenos, meias canas, rodapés, etc), de forma a minimizar a ocorrência de anomalias, com conseqüente desenvolvimento para a superfície corrente e perda de características gerais do revestimento.

Camada de Proteção

Deve-se verificar a necessidade de proteção sobre o piso de concreto para aumentar a vida útil do pavimento. Quando da elaboração do projeto, deve-se analisar o tipo e volume do tráfego. Aqui deve-se verificar a necessidade de utilização de um RAD (Revestimento de Alto Desempenho) a depender das restrições do cliente quanto a manutenção, utilização e vida útil do piso.

As camadas finais de conservação à base de dispersões acrílicas (vulgarmente designadas como cêras industriais) e os consequentes procedimentos de limpeza devem ser considerados. Tais processos não pretendem substituir os revestimentos, mas atuam como camadas protetoras e sacrificiais facilmente renováveis, ajudando a manter as altas exigências de higiene do piso.

Os produtos que compõem estas camadas deverão ser compatíveis com os revestimentos. Conseqüentemente os custos de manutenção futuros (repinturas) de maior ou menor complexidade são reduzidos ou mesmo eliminados, traduzindo-se em menores interrupções nos espaços a intervir.

Juntas Serradas

Deve-se ter atenção especial para as juntas serradas do piso. Com o uso e o passar do tempo, o selante elastomérico de calafetação das juntas vai perdendo sua elasticidade e começa a se desgastar, com isso começa a entrar grãos de areia e sujeira nas juntas, fechando assim os cortes com sujidades.

Isso representa um risco para os pisos de concreto, uma vez que as juntas param de fazer sua função de permissão de movimentações horizontais e verticais, aumentando o atrito entre as placas de concreto. Isso pode levar ao esborcinamento de juntas e diminuição da durabilidade do pavimento, especialmente em áreas de tráfego de empilhadeiras.

Deve-se então anualmente fazer a conferência da integridade do elemento de fechamento das juntas, e sua manutenção.

Precauções

A instalação de equipamentos, estantes de armazenamento, móveis, armários de arquivo, etc., sobre o revestimento, deve ser cuidadosa evitando riscos e marcas. As empilhadeiras devem ser conduzidas com cuidado a fim de evitar marcas causadas pela rotação ou pelo deslize das rodas, dando especial atenção ao impacto dos “garfos” de elevação.

Para os casos em que as empilhadeiras circulam entre áreas externas e internas, existem tapetes especiais que, instalados nos locais de entrada, evitam que as rodas levem pó, areia, óleo, pedrisco, entre outros para dentro. Estes tapetes devem ter extensão tal que permitam que a maior rodagem dos veículos possa completar duas voltas se auto-limpando.

Os equipamentos de limpeza e seus acessórios não deverão ser excessivamente abrasivos e devem ser adequados ao tipo de revestimento (rugosidade/textura) existente. Não usar escovas rotativas em revestimentos lisos ou numa situação inversa discos em revestimentos rugosos. Além de danificar os equipamentos, o resultado final não será o pretendido.

Os líquidos agressivos derramados acidentalmente, devem ser limpos ou absorvidos e eliminados o mais rapidamente possível. Depois de remover o líquido derramado, a área deve ser limpa com um detergente apropriado. Se tiver sido aplicada uma camada protetora, o revestimento deve ser inspecionado, verificando se a mesma não foi afetada, e caso o tenha sido deverá ser reposta. Para não prejudicar a aderência, a aplicação de camadas protetoras sobre revestimentos com derrame constante de líquidos deve ser evitada. .